17 de julho de 2013

Para recomeçar bem, conto um conto

Tira a poeira daqui, da uma sopradinha ali... e é assim que eu volto pro Telling Tales, sentindo saudade e tirando a poeira que ficou acumulada. Apareci poucas vezes, quase pensei em desistir dele... Mas eu voltei. E para dar uma animada nesse recomeço, voltei com layout novo, proposta nova, e muita, mas muita alegria em mostrar à vocês, querido leitor, tudo aquilo que me faz feliz, que faz parte da minha vida. Colagens, desenhos, textos, fotos, livros... 

Hoje trago uma crônica (ta, não é um conto, desculpe se enganei você no título, mas você vai gostar, sei disso). Uma crônica difícil de escrever, mas que me deu orgulho depois de ouvir minha professora dizer que ela estava muito boa. Então pensei: ok, acho que vale a pena divulgá-la. E aqui está:


A NÃO ACEITAÇÃO DOS FINAIS


Fecho o livro com uma sensação de vazio e perda. Ao mesmo tempo fecho os olhos e o abraço junto ao peito, sentindo seu cheiro. Mais um livro finalizado. Mais uma vez aquela torrente de sentimento: saudade, ausência e felicidade, tudo misturado. Tudo louco, tudo bagunçado. Mas finais fazem isso comigo, com a gente. Eles chegam de repente, mesmo que você o esteja esperando faz tempo. Eles te arrastam para um mundo de tristeza e felicidade aparentes. Eles te mostram algo bom ou algo ruim, algo que te agrada ou algo que te derruba. Eles não se importam em como ficamos após isso. Nós sabemos que vai acabar, mas é como uma onda enorme nos levando para o fundo do mar.

Finais estão presentes em todas as histórias. Minha, sua, nossa. Estão presentes em novelas, livros, músicas e poesias. Estão lá para nos fazerem refletir, chorar ou sorrir. Estão lá para nos mostrarem que devemos seguir em frente, pegar outro livro, ouvir outra música, ler ou escrever outro poema, mesmo quando não queremos, mesmo quando não estamos prontos. A vontade é de colocar tudo pra ser repetido, revivido, relido. Às vezes é possível.

Uma relação de amor e ódio que me arrebata a cada vez. Que me faz pensar: por quê?

4 comentários:

  1. Adorei... continue, vc tem talento. Acredite nisso.

    ResponderExcluir
  2. Te conheci "bebezinha"... Não convivi com você.
    Mas vejo em você um encanto, um tanto da mulher que te fez nascer!
    Parabéns pelo talento herdado, que trata com cuidado...

    Vejo feliz que germinou e floresceu a raiz!

    Um beijo Larissa.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Espero que tenha gostado e que volte mais vezes. Se quiser deixar um recado, fique à vontade!