26 de novembro de 2012

O gnomo e o pássaro




Essa história vai começar com Era Uma Vez. Não só porque é um conto de fadas. Mas sim porque a história não é tão comum assim, então acho que esse começo é ideal. Mas não é pra esquecer de nada não, que é uma história que com certeza vai te inspirar.

Era uma vez um jovem gnomo. Ele tinha barba como aqueles retratados nas histórias infantis, mas não era rabugento como costumam descrever essa espécie. A floresta em que vivia era repleta de animais, principalmente esquilos e coelhos. Sua casa não era um cogumelo (eles são muito pequenos para os pobres gnomos), mas sim um velho regador abandonado no meio da grama.
Sua criação não fora comum. Surgiu do nada, no meio de um lago, e quase morreu afogado. Suas roupas não pareciam muito novas e, apesar de estar encharcado, dava para notar quão sujas estavam. E ele até hoje se perguntava como tinha ido parar ali. Suas únicas lembranças eram flashes ocasionais de um quarto cheio de brinquedos, mas ninguém era igual à ele. E, infelizmente, ninguém estava ali com ele.
Ao começar a caminhar sozinho, o pobre gnomo ouvia suas botas fazerem um estranho barulho por estarem molhadas, portanto logo as tirou. Mas ficar sem ela mostrou-se pior do que andar com elas. Então novamente as colocou. Logo avistou um grande objeto à frente, de cor ocre, e se assustou. Parecia um monstro narigudo, ele pensou. Quando se acalmou, reparou no pequeno buraco que algum roedor havia feito na lateral.
“Uma bela casa isso seria, bom sinal.”
Aos poucos foi arrumando seu cantinho. Colocou flores, comida e muito carinho. O gnomo então viva feliz, sem ser incomodado. Quando queria ir a algum lugar, subia nas costas dos esquilos que o adoravam. E era definitivo que ficaria ali. Até que conheceu um estranho passarinho. Com a asa machucada, se encontrava encolhido no ninho. Conversaram um pouco, e o passarinho revelou-se uma fêmea, e disse que seu ninho tinha caído da árvore.
“Vou cuidar de você” disse o bondoso gnomo.
Vários dias se passaram, e a asa da passarinha foi curada. Ele perguntou o que ela faria então, e ela disse:
“Venha comigo, lindo gnomo. Vou te levar para um mundo de sonhos”.

E sem relutar, o gnomo se foi, mas posso garantir que o lugar em que está, é melhor do que aqui.

14 de novembro de 2012

Carimbos artesanais



Estou obcecada por carimbos já há algumas semanas. Tenho procurado onde comprar, como fazer, onde usar... Mas o que mais me encantou foi ter a possibilidade de fazer meus próprios carimbos de forma simples e barata: usando borrachas e um kit de estilete.
Assim que pude corri atrás de um kit bom de estilete de precisão, e encontrei um contendo 13 lâminas por menos de 20 reais. Depois, cacei a almofada para carimbo (menos de 4 reais), e as borrachas, claro. Mas como ainda não sabia qual era o tamanho ideal, comprei a mais simples e barata, que mede 3x2cm (o pacotinho com 3 saiu R$1,50). Depois em casa encontrei uma borracha grande, que me possibilitou fazer a tira de decotape, como podem ver melhor na imagem abaixo:


O triângulo para as bandeirinhas foi feito na borracha que comprei, e ficou perfeito. Já o coração e a gota (que foi a primeira a ser feita, portanto não está lá essas coisas) foram feitos na mesma borracha, que foi cortada ao meio, como vêem um pouco melhor na próxima foto:


Por enquanto só tenho esses prontos, mas eles funcionaram perfeitamente, e estou orgulhosa. Minhas próximas tentativas são um pouco mais trabalhadas (e complicadas), por isso preciso providenciar borrachas maiores. Ainda pretendo comprar carimbos do alfabeto, e alguns desenhos mais difíceis, mas vai ter que esperar, pois acho os preços absurdos. Mas enquanto isso, me divirto com os meus.

Gosto muito quando a tinta fica fraca, possibilitando adicionar cores e deixando tudo com mais cara de "feito à mão", coisa que adoro. Agora só preciso encontrar almofadas para carimbo em cores diferentes. Se alguém souber onde tem para vender, agradeceria a informação (:

Bom, por hoje é só. Tentei, juro que tentei tirar foto do passo a passo, mas câmera, estilete e tinta definitivamente não combinam. Quem sabe na próxima, quando eu estiver fazendo carimbos mais trabalhados. Até lá, espero que essas fotos ajudem para quem quer ter inspiração.